domingo, 21 de dezembro de 2014

Recesso da Abraguardas.

A Abraguardas não irá atender dos dias 22 de dezembro à 5 de janeiro, somente expediente interno.

O atendimento do  Departamento Jurídico se dará somente apos o dia 18 de Janeiro quando do termino do recesso do Judiciário.

Desejamos a Todos Feliz Natal, e um Prospero Ano novo e que em 2015 consigamos nossos objetivos.

Obrigado a Todos.

Diretoria.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

GCMs multarão veículos no início de 2015 em São Paulo

Tatiana SantiagoDo G1 São Paulo
Guarda Civil Metropolitana também participa de desfile em São Paulo. (Foto: Vagner Campos/G1)Guarda Civil Metropolitana passará a multar em
São Paulo (Foto: Vagner Campos/G1)
Os guardas-civis de São Paulo irão ganhar uma função extra. Além de cuidar do patrimônio público, eles também terão permissão para aplicar multas em caso de infrações de veículos. As multas começarão a ser aplicadas pelos guardas-civis até o mês de fevereiro de 2015.
A possibilidade de os membros da Guarda Civil Metropolitana (GCM) aplicarem multas está prevista no Estatuto Geral das Guardas Municipais, que amplia as atribuições dos agentes.
Atualmente, além da Polícia Militar, 1.856 “marronzinhos” da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e 600 agentes credenciados da São Paulo Transporte (SPTrans) aplicam multas.
A cidade de São Paulo possui 560 radares que fiscalizam os motoristas e esse número irá crescer 30% no próximo ano. Com o reforço dos GCMs, a fiscalização da cidade será ampliada.
“O treinamento dos guardas já foi feito, agora é uma logística de implantação”, afirmou o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. Uma equipe de fiscalização da CET realizou o treinamento dos GCMs no mês de outubro.
O mesmo grupo de guardas irá fiscalizar as infrações nas ciclovias da cidade. A medida foi anunciada em agosto deste ano e será implantada no início do próximo ano.
FONTE 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Empreendimento Habitacional Mairiporã.

Caros amigos ainda estamos com unidades em aberto no Empreendimento da Wolf Martins, no Bairro de Terra Preta em Mairiporã.

NÃO PRECISA ESTAR COM O NOME LIMPO.

O investimento inicial é de R$ 7.000,00 a combinar com os representantes da construtora, e mensais a partir de R$ 593,00 até a entrega das chaves, após o financiamento do restante será com a construtora ou via bancos, a critério do adquirente.

Este investimento também já foi disponibilizado para a Policia Militar e muitas unidades já foram vendidas, portanto quem puder aproveite a oportunidade pois a previsão de que se encerre em breve as unidades disponíveis.

Telefone de contato 3715-8409.


terça-feira, 25 de novembro de 2014

Guarda Ambiental - São Paulo


Em visita efetuada ao Comando da Guarda Civil Metropolitana, o Comandante Gilson Menezes efetuou um breve relato sobre grandes mudanças que estão por acontecer na Guarda Civil Metropolitana da cidade de São Paulo, dentre elas a consolidação da Guarda Civil Metropolitana na defesa do meio ambiente paulistano, com a criação da Superintendência de Defesa Ambiental - SUDAM.

A SUDAM desempenhará papel de grande importância, através do agrupamento dos recursos materiais e humanos do Programa de Proteção Ambiental e com foco mais específico às ações danosas ao meio ambiente.

Para tanto está prevista a entrega das viaturas de ambiental até o final deste mês de novembro e de forma síncrona a aprovação do decreto municipal que regulamentará a criação da SUDAM.

O Comandante Menezes entende que as ações de proteção ambiental são importantes e naquilo que depender do Comando não haverá obstáculos e sim dedicação pessoal para que o processo de implantação se concretize ainda neste ano de 2014.

O Texto final do plano de carreira está prestes a ser apresentado por sempla.

Fomos informados que o texto final está próximo de ser apresentado por Sempla, ainda esta semana teremos a reunião para apresentação do texto e assinatura do protocolo.

Informamos a todos que durante este período de negociação, muito do que foi pedido não foi aceito pelo órgão gestor, que alegou durante a toda hora falta de condições financeiras para a viabilização dos ajustes, principalmente a correta valorização do Base da Carreira e bem como alguns critérios de integração.

Cabe ainda informar que somente a representação na mesa de negociação não foi um instrumento suficiente para que maiores conquistas fossem alcançadas.

É necessário e prioritário a participação de toda a categoria em torno de um objetivo comum através de manifestações.

Consignamos que houveram muitos chamados da Abraguardas, para que pudêssemos nos organizar e expor nas ruas nossa indignação, mas a falta de cultura de participação do profissional da GCM é o também seu calcanhar de Aquiles, o que prejudica e prejudicará o processo de conquista de direitos trabalhistas.

Fato é que nas convocações se apresentaram poucos Guardas e na ultima convocada recentemente tivemos somente 6 guardas.

Não podemos aceitar que seja por falta de divulgação da convocação, pois cerca de 2000 guardas acessam diariamente este blog.

Nosso papel na mesa de negociação foi neste aspecto, do plano de carreira, muito mais como espectador do que como negociador, pois, as principais reivindicações não foram acatadas e a palavra final foi sempre do órgão do Governo.

Concluímos durante o processo de negociação, que os profissionais da GCM não foram valorizados em sua maioria, com o justo aumento financeiro capaz de corrigir as perdas acumuladas.

Bem como esta falta de valorização manteve o inicial muito aquém dos valores apresentados por outras carreiras de agentes de segurança publica, fato que se torna preocupante para a própria sobrevivência da instituição.

O plano é em sua sistemática de promoção futura um instrumento que traz as evoluções nos cargos quase que de forma automática, beneficio que nunca tivemos desde o inicio da GCM.

Mas na questão da integração que é a passagem dos cargos atuais para a lei nova, não foram contemplados alguns anseios de determinados grupos da GCM, os quais acreditamos serem anseios justos ou pelo menos justificáveis.

Todas estas questões foram largamente discutidas na mesa de negociação, onde se insistiu nos pontos requeridos pela base, mas como dito anteriormente a palavra final sempre foi de SEMPLA. 

Infelizmente.

O negociador não descartou a possibilidade de revisão dos valores iniciais de carreira, mas vinculou este fato a melhoria na condição financeira das contas da cidade.

Sabemos que a questão não é somente financeira, mas politica, e este governo dá provas que não tem a revalorização do base da categoria como prioridade, a prioridade politica do Prefeito Haddad é com o seu plano de governo e com suas promessas eleitorais.

O que coloca a Guarda como segundo ou terceiro plano, somente com a organização dos trabalhadores, poderemos no ano que vem galgar uma revalorização, necessitamos da participação de todos, para que em um projeto único possamos nos fazer ser ouvidos nas ruas de São Paulo e por fim conseguir a valorização salarial justa e equânime com relação a media salarial dos agentes de segurança que trabalham na nossa cidade. 

Obrigado.

Obs. Peço ainda que postem neste espaço sem ofensas ou palavrões, e informo que no post anterior a capacidade de postagem está completa, com mais de 200 posts, o que impede novos postados.