domingo, 25 de março de 2018

Comandante Geral da GCM pede afastamento por 20 dias.

Caros Associados e Colaboradores.

Na data de hoje fomos surpreendidos com a seguinte notícia do Comandante Geral da Guarda Civil Metropolitana.

Vejamos o texto abaixo e a Hashtag de apoio ao comandante Braga que está correndo nas mídias sociais:

Considerando as notícias que vem difamando minha honra sem eu ter tido o sagrado direito de defesa,
Considerando que tenho plena convicção de minha inocência e de minha competência funcional de mais de 30 anos prestados a segurança pública,
Considerando que a imprensa promove um massacre a minha pessoa refletindo na minha família e afetando a dignidade da pessoa humana,

Venho informar a todo o efetivo da Guarda Civil Metropolitana que solicitei afastamento por 20 (vinte) dias, para que possa tomar conhecimento do processo que apura eventuais inconsistências em convênio celebrado entre a Prefeitura de Paraguaçu Paulista e o Governo Federal, e não quanto a minha pessoa no exercício da Presidência da Associação das Guardas Municipais do estado de São Paulo - AGMESP, como divulgado na mídia, reafirmo que em nenhum momento fui intimado, não tenho conhecimento das acusações unilaterais do Ministério Público, que sequer foram avaliadas pelo Poder Judiciário.

Os fatos são afetos a prestação de serviços prestados pela AGMESP junto a Prefeitura de Paraguaçu Paulista, em processo licitatório regular em 2007, ou seja, há mais de 11 (onze) anos, que vem a tona justamente neste cenário triste de instabilidade que atinge todos nós.

Estarei junto com a tropa, como sempre o fiz, continuarei lutando pelo crescimento da Guarda Civil Metropolitana e de todas as Guardas Municipais do Brasil, pois somos o caminho para a mudança da Segurança Pública, por isso peço tranquilidade neste pequeno momento de turbulência, pois somos guerreiros e nada nos fará recuar, pois agimos sempre em busca da verdade e da justiça.

Saudações azul marinho.


Carlos Alexandre Braga
Inspetor Superintendente
Comandante Geral da GCM.

  





Da análise da Presidência da Entidade.

NOTA.

Primeiramente como representante desta entidade de Classe, me sinto na obrigação de apontar alguns fatos, os quais precederam este episódio que é um os capítulos de uma campanha sistemática difamatória que resulta em prejuízos, danos e que ao final acaba por derrubar imagem da GCM.

Essa campanha difamatória é realizada por integrantes da própria GCM, que por motivos fúteis adquiriram ranço pessoal do Prefeito João Doria, do Secretário de Segurança Urbana, Sr. José Roberto Rodrigues de Oliveira e do atual Comandante da GCM Carlos Alexandre Braga.

O denuncismo exacerbado, com o claro intuito de buscar a queda do Secretário e o abalo da imagem do Prefeito é realizado por pessoas vis, ausentes de caráter e inescrupulosas, que se escondem atrás da covardia do anonimato e que na realidade são malsãos travestidos de Guardas, pois a covardia não cabe no ordenamento dos bravos policiais municipais.

As denúncias se iniciaram em 05/02/2018, com a voz ignava e deformada pelo anonimato noticiando que o Secretário José Roberto estaria utilizando carro oficial para transportar família.


Como se os demais Secretários, seus antecessores nunca tivessem se utilizado desta prática ou de atos similares.

No dia 01/03/2018, houve mais uma reportagem, abastecida pela voz covarde do anonimato e arquitetada pelas mesmas pessoas biltres, em matéria que apontava que os guardas ambientais estariam desviados para a Cracolândia, como se a guarda ambiental fosse outra instituição apartada da GCM.


Em 10/03/2018, mais uma vez a voz covarde distorcida pelo anonimato, fala sobre questões internas em matéria jornalística que noticiou o encontro do corpo de uma jovem no largo do parque do Ibirapuera


Mais recentemente a voz covarde do mesmo grupo de pessoas pulhas, atrás do mau-caratismo do anonimato, apontou o uso de Viaturas da GCM na casa do Prefeito.

Como se no Governo Hadadd inexistisse sistema de ronda diária e periódica na rua da casa do Prefeito de forma constante todos os dias, prova talões de viatura a época.

Todas estas denúncias contra as mais altas autoridades da Prefeitura impactam diretamente na gestão da GCM, projetos de interesse dos Guardas, tais como aumento do RETP, aumento da base da categoria, já foram iniciados e podem sofrer influência, pois as autoridades que detêm o poder de decisão sobre nossas vidas funcionais, ficam a toda a hora ocupadas em responder a estas denúncias abastecidas por integrantes da própria instituição e pior elas sabem da origem das denuncias.

Por isso se faz necessário o esclarecimento de que este movimento, covarde, de denúncias anônimas parte de um grupo ínfimo de pessoas da GCM, as quais na realidade não se importam com as consequências de seus atos para a instituição e para os demais guardas.

O objetivo desta malta é a queda do Secretário José Roberto, e a queda do Comando da GCM, e atualmente encontram amparo na mídia em geral que quer atacar o Prefeito João Dória.

Cabe observar que já há muito tempo não temos um cenário sequer minimamente favorável a GCM.

O Prefeito desde o início de sua gestão deu sinais de apoio para a GCM atuar como Polícia.

Abraçou a ideia da Policia Municipal e determinou que se iniciasse um processo de reestruturação da GCM.

Autorizou o ingresso de 1000 mil guardas do concurso anterior, sendo que já ingressaram cerca de 300 e os demais serão chamados ao longo do ano.
Determinou estudos de aumento do RETP, aumento da base salarial e determinou o aumento da DEAC.

Conseguiu a autorizou a doação de 600 (seiscentas) pistolas Glock, as quais só ainda não foram entregues devido à greve da Receita Federal, inclusive já receberam o logo da GCM no corpo do armamento, vejam:





Conseguiu a doação de 50 motos, 1000 uniformes e 50 bikes,  bem como demais benefícios ainda estão em estudo.

O Secretário de Segurança Urbana, José Roberto nos surpreendeu positivamente, tem demonstrando ser uma pessoa de perfil técnico e não político. 

Abraçou a idéia da Policia Municipal e sofreu consequências negativas dentro do seu ciclo de amizades da Policia Militar, mesmo assim se manteve firme nas suas convicções em defender a GCM SP.

Arquitetou e conseguiu várias tecnologias, as quais estão em fase de implantação e que irão auxiliar em muito o trabalho do GCM na rua.

Bem como é apoiador e defensor da melhoria da política salarial da GCMm com o objetivo final de equiparação aos salários da PM.

Junto com o Cel. Lourencini, Chefe de Gabinete, autorizou e comprou escudos, capacetes, bombas de gás,  cartucheiras calibre 12, pistolas “spark”, todos os equipamentos básicos de segurança para a lida diária com as situações de confronto cotidianas, fato inédito na GCM, bem como mais compras ainda estão por vir.

Editou portaria garantindo o direito a atividade física na GCM.

Em todas as ocorrências envolvendo Guardas se posicionou de forma técnica, para não condenar antecipadamente o profissional, postura muito diferenciada e contrária a de seus antecessores, que pela pressão da mídia sempre condenaram os nossos profissionais como forma de se eximirem politicamente.

Quanto ao Comandante Braga, foi um dos idealizadores da Polícia Municipal aqui em São Paulo.

Implementou o conceito FORÇA TOTAL nas operações da GCM, as quais deram visibilidade e com isso aumentou a força política da instituição, que hoje é vista com outros olhos pelos vereadores, prefeitos regionais, demais autoridades e pela população em geral.

É mestre na área de gestão pública, bacharel em direito e o único integrante da instituição que possui uma série de cursos realizados nas SWAT’s nos EUA.

Iniciou os processos de revalorização salarial, bem como está procurando profissionalizar a GCM, com a adoção de processos e procedimentos os quais irão elevar a guarda a um outro patamar de instituição policial.

Foi idealizador da troca das viaturas da GCM no próximo contrato, levando viaturas grandes tipo “Duster” para as todas as unidades operacionais da periferia.

Valorizou e valoriza todos os Guardas que cumprem com suas funções, chamando-os ao Comando para elogiá-los pessoalmente pelas ocorrências atendidas, fato também inédito na GCM.

Implantou a folga garantida e determinou o cumprimento da portaria de atividade física.

Implantou 3 (três) períodos na operação “redenção” propiciando 8 horas de trabalho na Cracolândia e as demais horas de treinamento e atividade física constante, garantindo assim uma melhor condição laborativa para os guardas que estão no projeto.

Buscou a parceria com a Gerencia Operacional da CET, de forma a desonerar muitas viaturas do trabalho de deslocamento do GCM das unidades para as pontes, serviço que é feito hoje pelas viaturas do CET, melhorando assim a qualidade de trabalho do nossos guardas.

Bem como outras diversas ações de solidificação da GCM que estão em andamento foram iniciativas dele.

Trocas de cargos são uma constante na Administração Pública, ao final do ano passado tivemos na GCM a troca da então Subcomandante Lídia, por determinação do Comandante Adelson, sendo que os critérios de troca são adotados mediante avaliação da autoridade competente, que possui o direito por lei de nomear e exonerar os ocupantes destes cargos.

É o que ocorre com a GCM para os cargos de Comandante, Subcomandante até o cargo de Comandante Regional.

A IS Lídia de forma clara e corajosa, demonstrou que não se conformou com sua saída do cargo de Subcomandante.

Por este inconformismo ofereceu denúncia junto a Controladoria do Município, bem como elaborou Boletim de Ocorrência, por assédio moral contra o Comandante Adelson a época, pelo simples motivo de sair do cargo, já em sua denúncia na Controladoria havia mencionado os processos na Justiça Federal os quais IS Braga nem sequer tinha conhecimento, pois não havia sido citato ou intimado.

Coincidentemente denuncia com o mesmo teor foi feita de forma anómia no Ministério Público Estadual e já respondida pela Secretaria de Segurança Urbana e agora reascende nas midias em geral.

Mas somos sabedores que IS Lídia a qual admiramos muito, e que todos nós da instituição já há conhecemos bem, não seria capaz de fomentar todas estas ações de denuncismo, pois é pessoa a qual todos da instituição admiram pelo seu invejável histórico de lutas e conquistas para a GCM.

Bem como somos sabedores que seus apoiadores, também não seriam capazes de arquitetar um processo vil e prejudicial não só as autoridades, mas principalmente para a GCM.

Dentre elas está uma grande líder a Senhora Adriana Andreose, possuidora de enorme histórico de luta pela classe trabalhadora da GCM e mentora de diversas ações benéficas para a instituição.

A qual parabenizamos por assumir a AGES, e nos colocamos a disposição.

Isso para que equívocos como os que ocorreram no passado, como a denúncia feita em 2015 junto ao Ministério Público do Trabalho Federal, sobre questões do plano de carreira e não puderam continuar pelo fato de que o Ministério do Trabalho não possui a competência para lidar com questões vinculadas ao funcionalismo público estatutário.

O que é de conhecimento pacificado na jurisprudência, bem como é princípio básico de conhecimento dos advogados que lidam com o funcionalismo.

Tal denuncia junto ao MPF foi inócua, e “nati morta’ desde o início, mas levou muitos guardas a acreditar que algo seria resolvido, o que de fato não se realizou por equivoco e por ausência de conhecimento jurídico, por isso oferecemos nossa ajuda para que erros primários na area juridica como estes não ocorram mais, pois o GCM deve ser acessorado em suas demandas tanto gerais como individuais com profisssionalismo.

A coragem e a transparência da posição firme leal e transparente, tanto da Inspetora Lídia, quanto da presidente da AGES pode ser vista em seus perfis pessoais no “facebook”, que foram postados logo após a divulgação das notícias envolvendo o Comandante Braga veiculadas nos jornais no início desta semana, vejam os seguintes posts.








Os seus posicionamentos e compartilhamentos, firmes, transparentes, ajustados ao caso são fatores que devemos admirar.

Por fim ,esperamos que o nosso leitor veja a realidade, e o quanto estas más pessoas, as quais desconhecemos, acabam com seus atos vis à atingirem a própria Corporação e principalmente aos seus integrantes.

Como já dito agem de forma covarde atrás do anonimato e são movidas pelo pior sentimento o de rancor e o ódio gratuitos.

Esperamos que logo possamos descobrir quem são estas pessoas e quais os motivos fúteis que estão atrás destas campanhas de desestabilização das autoridades e por consequência da própria GCM, para que possamos ter paz para crescer, pois, o momento está favorável a instituição.

Quanto as denúncias do Comandante ele poderá se defender, mas condena-lo de forma antecipada é contra os princípios jurídicos e cristãos.

João 8:1-11 
 7.  Visto que continuavam a interrogá-lo, Ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.

O que não podemos é nos deixar cegar pelo denuncismo político, pessoal e vil, no qual os covardes anônimos se utilizam para alcançarem seu mesquinho objetivo de vingança pessoal.

O que temos a fazer é orar para que estas pessoas as quais não identificamos, possam se libertar-se de sua pequenez e de suas doenças da alma.

Para isso, peço atenção ao texto e que possamos retirar a verdade e os motivos que permeiam toda esta campanha anomia e, portanto, covarde, que ao final como já dito os maiores prejudicados somos todos nós e a instituição a qual fazemos parte.

Só o tempo pode revelar-nos um homem bom; o perverso pode ser conhecido apenas em um dia.
William Shakespeare

Quanto a covardia de quem se esconde atrás do anonimato, a qual o policial da GCM condena, pois é alvo constante desta prática imunda na lida diária da sua função, temos a apontar algumas citações,

Não há exemplos na História de se ter conquistado a segurança pela covardia.
Léon Blum

A covardia é a mãe da crueldade.
Michel de Montaigne

Boa noite a todos e esperamos que esta tempestade passe logo, para que possamos crescer e aproveitar o bom momento político da GCM, de forma a corrigir as perdas salariais e melhorar as condições de trabalho de todos nós Guardas Civis Metropolitanos.


2 comentários:

  1. Infelizmente o egocentrismo falou mais alto novamente. Quem teve essa atitude ( denúncia anônima ) se esquece que fazendo isso só enfraquece a nossa instituição .... quando tínhamos outro governo, ninguém denunciava nada agora que temos um governo e comando que olharam para a GCM , acontece esse tipo de coisa. Vamos torcer para que tudo seja esclarecido e que o Comandante Braga possa reassumir seu cargo e elevar a nossa Gloriosa Guarda Civil Metropolitana como o vinha fazendo.

    ResponderExcluir
  2. Já fui vítima do denuncismo vil e covarde de algumas pessoas e sei o que é ser intimado a corregedoria para responder por denúncias descabidas.
    Mas estas pessoas aos poucos caguetam-se por si própria e certamente a cobrança pela injusta ação vira sobre elas nãohá como plantar vento e não colher tempestades.
    Espero que Deus as perdoem pelos maus causados não apenas à pessoas mas também a instituição

    ResponderExcluir